Sobre a 12ª Mostra

POVO LINDO, POVO INTELIGENTE! O sarau da Cooperifa, enfim, atinge sua maioridade poética com o mesmo entusiasmo dos e das adolescentes que descobrem o livro pela primeira vez. Só que a literatura chegou pra nós através da oralidade, da palavra simples que brota das vozes de homens e mulheres que adoram um deus chamado trabalho. E que não se cansam na busca pela felicidade. Do pão da literatura que alimenta a alma. Gente que faz da periferia e da poesia um lugar melhor pra viver. E são tantas as pessoas e parcerias que construíram e ajudam a construir esta história de amor, que seria preciso escrever muitos livros para agradecer essa gente que ajuda a sustentar este sonho. Seriam necessários mais 18 anos de saraus (poesia no ar, ajoellhaço, natal com livros, chuva de livros, cinema na laje, várzea poética, canja poética, saraus nas escolas, mostras culturais etc.) para externar nossa gratidão. Se a palavra liberta, então somos livres. É tudo nosso! Uh, Cooperifa! Uh, Cooperifa!
Literatura
Música
Debates
Cinema
Teatro
Dança